3 de dezembro de 2017

CUIDADO: PASTORES MARQUETEIROS

Ninguem pode negar que o mundo está em estado de constantes mudanças. A vida na terra muda e as pessoas também. Algumas mudanças são beneficas enquanto outras são maléficas. Portanto, devemos avaliar todas as mudanças à luz da Palavra de Deus. Alguns líderes afirmam: “Precisamos mudar o nosso modo de fazer igreja, precisamos nos aliar com a cultura moderna, nosso ministério deve ter o mesmo objetivo que o marketing, ou seja, saciar as necessidades das pessoas”. Baseado nessa premissa consta-se que muitas igrejas atualmente estão vendendo ou negociando o Evangelho do mesmo modo que as concessionárias vendem seus veículos e as lojas de ferramentas vedem suas ferramentas. As igrejas movidas pelo marketing têm sua base construída sobre a opinião pública, pesquisas e as últimas técnicas mercadológicas, em vez de terem suas bases construídas sobre a Palavra de Deus. A mensagem dessas igrejas é mutilada, pois para vender a igreja às pessoas oferece o que elas querem. O grande mal da mensagem marqueteira é que ela estabelece um conceito de fé que elimina a submissão pessoal e o abandono do pecado, ou seja, elimina o senhorio de Cristo na vida das pessoas.

É importante frisar que o marketing por detrás da igreja moderna exige uma mudança da mensagem da cruz: “Experimente Jesus”, “Sinta Jesus” é o apelo esdrúxulo da igreja marqueteira. A fé não é um experimento, é um compromisso vitalício e exige rompimento dos nossos laços com o mundo. Os pastores marqueteiros para dar suporte aos seus exemplos de estratégia de marketing na Bíblia distorcem terrivelmente os significados dos textos bíblicos. Eles dizem, por exemplo, que “Barnabé fez marketing pesado quando venceu o medo que os discípulos tinham de Paulo, convencendo-os que ele não era mais um perseguidor da igreja”. Dizem ainda que “Jesus ganhou a sua fama no marketing por que as palavras de sua boca sempre atendiam as necessidades sentidas das pessoas”. 


Philip Kotle no seu livro “Marketing para o século XXI” define marketing como “O conjunto de atividades humanas que tem por objetivo facilitar e consumar relações de troca” Para Theodore Levitt, autor clássico da área de administração, diz que “marketing é obter e manter cliente”. Em Atos 9:27, Barnabé apenas conta aos apóstolos como aconteceu a conversão de Paulo e como ele falava ousadamente no nome de Jesus. Ao contar o testemunho de Paulo, Barnabé em nenhum momento teve a intenção de facilitar e manter relação de troca com os apóstolos e nem manter os apóstolos como seu cliente. Quanto ao Senhor Jesus é verdade que grande parte dos que foram a Ele estavam em busca de cura ou de outras necessidades físicas ou emocionais. É também verdade que Jesus atendeu a muitas dessas necessidades, porém, o atendimento das necessidades nunca se traduziu em transformação espiritual, a não ser que Jesus perdoasse os pecados. Muitos receberam o derramamento do amor de Deus por meio do atendimento de suas necessidades, mas poucos receberam o dom espiritual eterno da salvação através da fé submissa a Jesus. Somente aqueles que chegaram a Jesus em arrependimento receberam a salvação. De acordo com a Bíblia o Evangelho são as Boas Novas pelas as quais os pecadores perdidos podem ser perdoados de seus pecados e receber a retidão de Cristo. O Evangelho não tem como prioridade ajudar o “Marcos” a se sentir bem consigo mesmo e suas circunstâncias, mas trata a rebelião dos seres humanos contra um Deus Santo, que em última instância os condenará ao inferno se eles não se arrependerem e confiarem em Cristo para perdoar seus pecados. Para os lideres marqueteiros, “As mensagens mais efetivas para aqueles que buscam, são aquelas direcionadas para seus desejos, ou seja, para suas necessidades sentidas”. Esse tipo de pensamento não provém da Bíblia, mas sim das pesquisas de mercado e das últimas novidades da psicologia popular. 


As igrejas movidas pelo marketing surgem a cada dia e, estão sendo povoadas pelas pessoas vindas das pequenas igrejas. Assim como grandes lojas como Extra, Carrefour, Pão de Açúcar, Wal-Mart estão engolindo as pequenas lojas, as igrejas movidas pelo marketing estão fazendo o mesmo com as pequenas. Mas ser suntuosa não significa ser melhor, pois nas igrejas movidas pelo marketing a salvação é sempre apresentada como um meio para se receber o que Cristo oferece, sem se obedecer ao que Ele ordena. Na igreja marqueteira a Bíblia entra apenas para sacramentar o mundanismo o qual viola os princípios absolutos da santificação, separação e diferenciação do mundo. O Evangelho pregado pelos pastores marqueteiros é sedutor, pois ensina que o cristianismo pode ser conciliado com a vida que se tinha antes de ser crente, ou seja, a pessoa pode continuar com a vida que tinha antes. Se antes era dançarina de boates ou fazia strip-tease ou pousava nua em revistas, pode continuar com essas práticas, se antes era humorista contador de piadas imorais, pode continuar seus shows de luxúria, se antes eram vendedores de cigarros, bebidas alcoólicas e produtos eróticos podem continuar com seu negócio. A igreja orientada pelo marketing tem como foco satisfazer as necessidades imaginárias e carnais de sua clientela, por isso, inventa muitos “ministérios” tais como “ministério de coreografia”, “ministério de jazz”, “ministério de luta livre”, “ministério de balé”, “ministério de yoga”. Infelizmente, As crenças na onipotência das técnicas de marketing estão mudando a natureza da igreja e levando-a perder a identidade. Como disse Andrew Bonar: “Eu procurei pela igreja e a encontrei no mundo, eu procurei pelo mundo e o encontrei na igreja”. Dizer que a igreja brasileira não tem um rei e uma rainha é um erro crasso: Seu rei é o marketing e sua esposa é o entretenimento.


Ir. Marcos Pinheiro

20 de novembro de 2017

A ERA DOS LÍDERES ARROGANTES

Estamos vivendo a era dos líderes arrogantes. O diabo tem levantado “pastores” soberbos para alardearem um Cristo destronado onde as glórias do Senhor são transferidas para eles. “Pastores” há que vivem para seu próprio engrandecimento. Anelam ser o proeminente, o super-estrela. Os “pastores” arrogantes sempre se apresentam diante de Deus reivindicando. Nunca pedem, sempre reivindicam. O Evangelho da graça nos ensina que não temos direito de reivindicar nada, pois tudo o que recebemos das mãos de Deus é resultado de sua amorosa e maravilhosa graça. Esses presunçosos perderam a visão do Evangelho da graça.


O culto dirigido pelos “pastores” arrogantes tem como centro as riquezas desse mundo. Na boca desses réprobos, Cristo virou moeda de troca. Cristo é vendido como um deus mercenário a satisfazer nossos caprichos se lhe damos em troca dízimos e ofertas. Na verdade, os “pastores” prepotentes negociam a Palavra de Deus para seu próprio bem estar material: jatinho, carrões, mansões, roupa de marca para filhos e esposa, passeios em cruzeiros e faculdade no exterior para os filhos. Tudo a custa de um povo explorado e enganado.


A arrogância  governar-se a si mesma e tem prazer na lisonja de sua glória. Por isso, os “pastores” soberbos estão inevitávelmente em conflito direto com o Santo Evangelho. As mensagens deles são pervertidas, não bíblicas. É carregada de um nevoeiro de invenções humanas anti-bíblicas. Ao invés de manejarem bem a Palavra da justiça manejam bem os esquemas totalitários. Agem como se tivessem super-poderes. Consideram-se como onipotentes. Eles têm mãos proféticas, pés proféticos, boca profética, sorriso profético, gargalhada profética, sonho profético, cuspe profético. Como disse o herético- arrogante Myles Munroe no seu livro “Como compreender o seu potencial” – “Deus criou você para ser onipotente”. Que blasfêmia! A onipotência é um atributo exclusivo e incomunicável de Deus.
Os “pastores” soberbos são cultuadores de óleo. Alguns chegaram às raias do ridículo “ungindo” a cidade onde moram com óleo derramado por um helicóptero. Os “pastores” prepotentes são biblicamente cegos, pois não conseguem enxergar que em Tiago 5:14 o óleo não tem em si nenhum poder curativo sobrenatural. O autêntico e verdadeiro poder está no Senhor da glória, e pode vir a ser derramado sobre o enfermo, em resposta à oração dos filhos de Deus. O valor mágico-místico da unção com óleo agride os princípios basilares do Novo Testamento, especialmente no que diz respeito ao objeto da fé, que não pode em nenhuma hipótese ser algo material sob pena de idolatria e paganismo. O princípio gerador da cura em Tiago 5:14 é a fé a as orações dos verdadeiros líderes da igreja, não o óleo. Portanto, “ungir” a cidade é heresia das mais abomináveis.
Os pastores altivos se sentem o “rei da cocada”, pois acham que Deus os separou do resto da humanidade. Nesse contexto, não aceitam discordância de suas posições. Quem deles discorda é amaldiçoado. Esses “pastores” adoram ser adjetivados. Amam aplausos, confetes, títulos e bajulações. Conseguem manter à semelhança de Hitler e Mussolini, uma multidão de fanáticos subservientes. Mas, os dias dos pastores presunçosos estão contados. O profeta Isaias registra: “A arrogância do homem será abatida, e a sua altivez será humilhada” (Is 2:17). Entre os santos de Deus não há prepotentes, há os humildes de coração.
Precisamos de homens e mulheres inconformados com as heresias para abrir os olhos do povo cego que se deixa ser guiado pelos “pastores” arrogantes. Deus não nos chamou para nossa própria celebridade, não nos chamou para pregar “a nós mesmos”. Chamou-nos para pregar a Cristo Jesus, e esse crucificado e ressuscitado! Importa que Ele cresça e nós diminuamos.


Ir. Marcos Pinheiro

21 de outubro de 2017

17 PERIGOS DA TELEVISÃO COM O PASTOR DONALD C. STAMPS

01- A televisão tem ensinado o humanismo secular, que diz o que mais importante provê do homem ou do mundo. 

02- Ensina que atores de Hollywood,pessoas sem Deus, que zombam das coisas de Deus, são modelos apropriados para os jovens.


03- A visão bíblica do casamento e do divórcio é ultrapassada e deve ser rejeitada.


04- A homossexualidade não é pecado e é aceita por pessoas racionais, inteligentes e tolerantes.


05- O aborto deve ser aceito, pois não há nada de mais em se matar crianças que ainda não nasceram, pois são realmente animais não nascidos.


06- Pornografia é um entretenimento agradável e aceitável.


07- O prazer deve ser encontrado nas experiências sexuais ilícitas.


08- Fidelidade à esposa não é um requisito importante para um casamento.A fidelidade é considerada uma repressão à liberdade pessoal do homem.


09- Deve se rir dos padrões tradicionais de moralidade.


10- Deus não existe, está ultrapassado e não é importante.


11- Beber bebidas alcoólicas é uma maneira prazerosa de viver socialmente aceita e desejada.


12- Deus é algo que devemos simplesmente ignorar.


13- Ser virgem até o casamento é motivo de vergonha e embaraço.


14- Para a garota ser atraente deve se vestir sem modéstia e com conotação sexual.


15- As crianças aprendem a não ter respeito a ninguém, especialmente aos pais,pastores e autoridades públicas.


16- Na realidade não existe certo ou errado,não há aquilo que chamam de pecado.

17- A mensagem de que Jesus Cristo sofreu e morreu numa cruz por você e por mim, é irrelevante e não importa, nesta era moderna.

18 de outubro de 2017

EROTISMO NOS LOUVORES


Um novo estilo de louvor tem invadido as igrejas evangélicas abalando os pilares dos conceitos bíblicos. Vivemos numa época de baixíssimo nível de conhecimento bíblico. A mediocridade é chocante e invadiu as igrejas na área do louvor. O louvor tem sido superficial e mundano. Superficial porque coloca o prazer do adorador em primeiro lugar, e não a satisfação do Senhor. Mundano porque tem trazido o erotismo para o seio da igreja. Não atentando aos avisos escriturísticos a respeito do amor ao mundo, a igreja tem tomado emprestado a música de entretenimento mundano atual, seus instrumentos, ações, ritmos e espetáculos. Durante tempo demasiado a igreja tem pensado que o poder para alcançar os perdidos está num louvor em sintonia com o estilo Hollywood: sensacional e sensual. O adeus aos louvores em espírito e em verdade é definitivo. As músicas só falam em focar a atenção em si mesmo, conseguir bênçãos, milagres, melhorar a situação financeira, coisas do tipo: “há poder em minhas palavras”, “tenho fé em mim mesmo”, “creio em mim mesmo”, “sinto orgulho do que realizei”, “eu consigo isso”, “eu consigo aquilo”. Na verdade a ênfase é a auto-suficiência do pensamento positivo. Louvor não é mais quebrantamento, é elevação da auto-estima.

O louvor moderno tornou-se um cavalo de tróia dentro da igreja, e vem trazendo além do exibicionismo, sensualidade para o seu meio. As letras de alguns corinhos são excessivamente eróticas, repleta de intimidade física como se o nosso Deus Altíssimo fosse um gigolô, um amado amante, um amante lúbrico da membresia: “Eu quero tocar nos cachos dos teus cabelos e beijar os teus pés”, “Meu lindo Jesus, meu amor”, “Jesus minha paixão, o teu perfume me envolve”, “Jesus tem paixão por aqueles que são dele”. Neste contexto, o som da batucada leva o rebanhão a estremecer, pular, gingar o corpo, fazer “sapateado de anjos” e entrar em delírio.

Na visão do “ministrão” de louvores eróticos o mundo precisa ver que a igreja é “legal”, atualizada e acompanha os tempos. Portanto, o que vale é o apelo aos sentidos físicos, nada de promover a santidade. O negócio é satisfazer a necessidade de balanço, de maneios, de se soltar. Louvor é catarse. É forró, funk, samba, axé, rock e companhia Ltda. Neste contexto, o “ministrão” sem nenhum pejo manipula o louvor mandando as pessoas gritar, saltitar, rodopiar e dizer para o irmão do lado: “o gigante vai ser derrotado”, “Deus vai trazer de volta o que é seu”. E, os chavões invertebrados do “ministrão” continuam: “manda chuva, Senhor”, “traz vitória para cá”, “dá propósito para lá”. Uma verdadeira lavagem cerebral.

O verdadeiro louvor é consciência do sagrado e quebrantamento, é uma entrega incondicional. Louvor não é passa-tempo e nem tampouco uma atitude irrefletida, mas sim, a expressão sacrificial de nosso ser a Deus. O louvor bíblico nos leva a descortinar o drama da cruz. Quando a sabedoria da cruz não é entendida o verdadeiro louvor se esvai. Louvor, disse o puritano Stephen Charnock, “é um ato do entendimento aplicando-se ao conhecimento da excelência de Deus”. Deus sempre deve ser para nós o Grande Deus, a quem nos chegamos com reverência e sacrifício de louvor. Se cantarmos uma música banal sem palavras que edificam, estamos insultando a Deus. O Senhor se agrada de hinos sacros e eruditos, cantados em espírito de perfeita adoração e não em espírito de erotismo que leva a igreja a proceder exatamente como ocorre nos shows das casas noturnas mundanas. Louvor que não recorda que somos pecadores e que precisamos nos santificar não é louvor.

Lamentavelmente, na área do louvor, a igreja moderna precipitou-se impetuosamente no declive do secularismo. Não sabe a diferença entre louvor e diversão. Não está disposta a ser desprezada pelo mundo por causa da cruz. A igreja moderna se envergonha do verdadeiro Evangelho. Perdeu a capacidade de salgar. Perdeu o respeito daqueles a quem deseja alcançar com a mensagem de Cristo. A luz se enfraqueceu.

A.W.Tozer disse: “Para que haja louvor verdadeiro, algumas coisas devem ser destruídas, pois possuem elementos que não podem permanecer numa vida agradável a Deus”. Portanto, se quisemos ver a glória de Deus em nossas igrejas devemos eliminar a erotização dos louvores.

Estou convencido de que nossas igrejas não precisam encher-se de mais gente, e, sim, de que as pessoas que nelas estão encham-se do conhecimento de Deus. Quando isso acontecer o erotismo não terá espaço nos louvores. De Gênesis a Apocalipse, a igreja é exortada a permanecer fiel, seguindo o Senhor, com um coração puro, jamais se desviando do caminho estreito!

Ir. Marcos Pinheiro

17 de outubro de 2017

Reflexão

“Aquele que serve a Deus por dinheiro servirá ao diabo por salários melhores.” (Roger L'Estrange)

6 de outubro de 2017

Não toque na sua sobrancelha o que Deus fez é perfeito!

Mas afinal, para que serve essa tal sobrancelha?



A nossa sobrancelha exerce uma função dupla de beleza e proteção. Retirar pelos pode ser prejudicial à sua visão. Sim, à visão, porque a segunda função dela, a de proteção, depende justamente dos fios que formam esse “tufozinho” acima dos nossos olhos.
Desde sempre, o ser humano apresenta pelos por todo o corpo, bem como no rosto. Esses pelos tem a função de proteger nosso organismo do frio, de partículas estranhas, e insetos.
Por ser uma região muito sensível, os olhos precisam de proteção em dobro. Por isso a sobrancelha está situada logo acima da celha, ou como são conhecidos, cílios ou pestana, daí seu nome “sobrancelha”.
Devido à transpiração da nossa pele, pequenas gotas de suor  podem escorrer até nossos olhos. O suor possui em sua composição, vários sais e outras substâncias que, em contato com a superfície do globo ocular, poderiam causar irritação e dificultar a execução de várias tarefas que seriam extremamente simples. Ocasionalmente protege os olhos da chuva, poeira e também da luz do sol, além de muitas outras partículas que poderiam prejudicar nossa visão, pois aumenta a percepção de um corpo estranho demasiadamente perto dessa região.
Além disso, as sobrancelhas ainda nos auxiliam a expressar emoções e estados de espírito. Por exemplo, em uma expressão de espanto, a pessoa levanta as duas sobrancelhas, dando um efeito mais alongado ao rosto. Quando você tira a sobrancelha você está minimizando o poder criador de Deus.

"Eu te louvarei, porque de um modo assombroso, e tão maravilhoso fui feito; maravilhosas são as tuas obras, e a minha alma o sabe muito bem. Salmos 139:14"

1 de outubro de 2017

Visão sobre a copa do mundo e estudo sobre o futebol

"Uma irmã teve uma visão sobre a copa do mundo aqui no Brasil, o Senhor lhe mostrava um estádio e ela via uma nuvem de demónios que pairavam sobre este, eles eram comandados por outro demónio que tinha jeito femininos, então conforme os jogadores entravam em campo aquele Demónio efeminado dava a ordem e os demónios começavam a descer para o campo e entravam nos jogadores possuindo suas vidas"

                                                

Posso ou não praticar futebol?



- Eu, como servo de Deus, posso ou não praticar futebol?
Afinal o que a bíblia fala a cerca deste assunto? A verdade é que poucos pastores se atrevem falar sobre este tema por a maioria dos pastores tem seu time de futebol. Entretanto, procuraremos neste estudo, à luz da palavra de Deus, demonstrar, com clareza, no que afeta as nossas vidas espirituais nos envolver, e que é pecado jogar e torcer para times de Futebol.
Como base para este estudo  meditaremos em Gálatas 5:19-21, o qual nos dá DOZE motivos para o crente salvo não se envolver com o futebol.


"As obras da carne são conhecidas, as quais são: Prostituição, impureza, lascívia, idolatria, feitiçaria, inimizades, porfias, ciúmes, iras, pelejas, dissensões, facções, invejas, bebedices, orgias, e coisas semelhantes a estas, a cerca das quais vos declaro, como já antes vos preveni, que os que cometem tais coisas não herdarão o reino de Deus."


1 - O texto começa dizendo que as obras da carne são manifestas as quais são: "Prostituição, impureza...".

Nos jogos de futebol há palavrões, xingamentos e palavras impuras.
Primeiro motivo para o "salvo" não se envolver com o futebol.


2 - No texto encontramos como obra da carne a "lascívia", A palavra lascívia significa: "Luxúria; ato de mostrar o corpo provocando um desejo em outras pessoas; Sensualidade".
Em todo Brasil pernas de fora é, por estatística, o alvo dos olhares das mulheres e homens.
Esta atitude, sair com as pernas de fora, como assim fazem os jogadores de futebol, não condiz com um crente salvo.
Segundo motivo para o "salvo" não se envolver com o futebol.


3 - Também a “Idolatria” é registrada no texto lido e em toda bíblia como obra da carne. "Hoje se idolatra jogadores e times".
Recentemente vincularam nos jornais uma grande faixa erguida por torcedores dizendo: "Se Deus é 10, Romário é 11". São camisas, torcidas organizadas, e quem joga melhor é idolatrado. Futebol provoca idolatria.
"pois ficarão de fora os cães, os feiticeiros, os que se prostituem, e os homicidas, e os idólatras..." Ap 22:15.
Terceiro motivo para o "salvo" não se envolver com o futebol.


4 - A lista das obras da carne traz mais um item: "feitiçaria", e por incrível que pareça o futebol está ligada a ela. Foi descoberto que cada time de futebol tem um mascote no candomblé. Entidades demoníacas são invocadas a favor de cada partida, entre os rubro-negros (flamengo) os despachos são feitos atrás do goleiro do time adversário, diante das câmeras para todos verem. Nas camisas do Vasco da Gama pode-se ver um desenho do "Edie" que segundo a tradição é um homem que morreu e é invocado pela banda " IRON MAIDEM, os vascaínos estão invocando alguém que já morreu em suas camisas. Isto é Espiritismo e feitiçaria. A bíblia diz: "que comunhão há entre as trevas e a luz? II Co 6:14.
Quarto motivo para o "salvo" não se envolver com o futebol.


5 - Outra palavra contida no texto é "inimizades". Violentas brigas sempre ocorrem entre jogadores, torcedores e dirigentes. Jesus, na contramão do futebol nos diz: "Eu, porém, vos digo: Amai os vossos inimigos e orai pelo que vos perseguem para que sejais filhos do vosso Pai que está nos céus." Mt 5:44-45.
Quinto motivo para o "salvo" não se envolver com o futebol.


6 - Paulo escreve ainda a palavra denominada "Porfia", na lista das obras da carne. Segundo o dicionário a palavra porfia é disputa e competição. Disputa e competições são obras da carne, uma partida de futebol é uma disputa, uma competição, um time contra o outro, uma torcida contra a outra. Sendo uma partida de futebol obra da carne, Paulo escreve aos Romanos: "Portanto os que estão na carne não podem agradar a Deus." Rm 8:8 E escreve aos servos da Galácia: "Não useis, porém, a liberdade para dar ocasião à carne." Gl 6:13.
Sexto motivo para o "salvo" não se envolver com o futebol.


7 - Prosseguindo, na lista aparece o "ciúme ou emulação", deriva do latim "aemulatione", exceder outrem em merecimento, rivalidade. Ninguém joga para perder, o menor desejo de ganhar a partida é biblicamente pecado, quem fica como reserva tem ciúmes de quem é titular, um jogador menos condecorado tem ciúmes daquele que é estrela, o time vencedor provoca ciúmes no time perdedor, o torcedor do time perdedor fica com ciúmes do time vitorioso. Veja, tudo é misturado a "ciúmes e emulações", tudo é misturado a "obras da carne".
A bíblia aconselha: "Digo, porém: Andai no Espírito e não satisfareis a concupiscência da  carne". Gl 5:16.
E ainda: "Pois se viverdes segundo a carne, morrereis; mas se pelo Espírito mortificardes as obras do corpo, vivereis". Rm 8:13.
Paulo continua dizendo: "Porque todos que são guiados pelo Espírito de Deus são filhos de Deus". Rm 8:14.
Sétimo motivo para o "salvo" não se envolver com o futebol.


8 - A seguir encontramos no texto como item das obras da carne a palavra "iras". Sempre são vistos jogadores brigando entre si, juízes sendo difamados, torcidas brigando causando até mortes. Jogadores são conhecidos como animais, brigões, que não levam desaforo para casa. A ira está ligada diretamente ao futebol. A bíblia exorta: "Portanto, vede prudentemente como andais, não como néscios, mas como sábios, remindo o tempo, porque os dias são maus. Pelo que não sejais insensatos mas entendei qual seja a vontade do Senhor". Ef 5:15-17.
Oitavo motivo para o "salvo" não se envolver com o futebol.


9 - A palavra "Peleja" vem na seqüência que significa desafio. um simples torneio ou partida é um desafio. A bíblia diz:
"Que diremos, pois, irmãos? Quando vos reunir cada um de vós tem salmo, tem doutrina, tem revelação, tem língua, tem interpretação. Faça-se tudo para edificação". I Co 14:26.
Veja! quando os cristãos se reúnem estão ligados direto às coisas espirituais.
Nono motivo para o "salvo" não se envolver com o futebol.


10 - Outro item da lista de Gálatas é a "Dissensão" que significa: "Divergência, contraste, discordar, divergir", está ligado diretamente ao futebol, é o décimo item das obras da carne encontrados no futebol.
Décimo motivo para o "salvo" não se envolver com o futebol.


11 - Paulo agora fala de  "Facções" que significa: "tomar partido, parcialidade, grupo distinto sem autoridade bíblica". Uns dizem: "Sou flamenguista e outros vascaínos, botafoguenses, atleticanos e etc. porém os nascidos de novo dizem: "Sou de Cristo". O futebol engloba facção entre times e torcidas, e é heresia pois não há aprovação bíblica para este acontecimento.
"Orai sem cessar". I Ts 5:17
"Pregue a tempo e a fora de tempo". II Tm 4:2
"Antes tem o seu prazer na lei do Senhor e nela medita de dia e de noite". Sl 1:2
"Estejam na sua  garganta os altos louvores de Deus". Sl 149:6
Décimo primeiro motivo para o "salvo" não se envolver com o futebol.


12 - O apóstolo levanta mais um item o qual são “Invejas". Um jogador bem sucedido com carro importado, com grande salário, causa inveja no jogar no anonimato. Um time várias vezes campeão provoca inveja nos times perdedores. Quem faz um simples gol é invejado por aquele que não conseguiu.
A bíblia declara: "Porque ainda sois carnais, pois havendo entre vós invejas, contendas e dissensões, não sois, porventura, carnais e não andais segundo homens". I Co 3:3.
e ainda diz: "Os que são de Cristo Jesus crucificaram a carne com as suas paixões e concupiscências". Gl 5:24.
Décimo segundo motivo para o "salvo" não se envolver com o futebol.

DEFINIÇÃO
Aprovar o futebol é heresia. A menos que se queira tornar permissivo a prática das obras da carne. A igreja pode se modernizar e não mundanizar, bem diz um evangelista.
A bíblia nos dá, somente neste texto de Gálatas, doze motivos para não nos enveredarmos em meio ao futebol. Pois se vivermos na prática de qualquer um dos itens descritos na lista das obras da carne nos é prometida uma conseqüência dura e real:
"Os que cometem tais coisas não herdarão o reino de Deus".
Gl 5:21.
A bíblia não está dizendo que os que cometem tais coisas não tem problema ou não tem nada a ver. Ela afirma:
"Não herdarão o reino de Deus".

CONCLUSÃO
Nota final:
Existem três grandes inimigos do crente salvo. Em ordem decrescente são:
O terceiro  maior: O diabo;
A bíblia dá a receita para combatê-lo: “resisti ao diabo e ele fugirá de vós” Tiago 4:7
O Segundo maior : O secularismo, com tudo o que ele oferece;
A bíblia diz: "Não ameis o mundo e nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele". I João 2:15
"...o deus deste século cegou os entendimentos dos incrédulos, para que lhes não resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, o qual é a imagem de Deus." II Co 4:4.
O maior inimigo do crente: “A carne”.
Este inimigo é terrível, pois incorpora os anteriores. Muitos são derrotados por ele simplesmente por tentarem resisti-lo, pensando que podem controlar suas ações, e dizem conhecer os “limites”. Mas resistir à carne é suicídio espiritual.
José, no Egito nos ensina como vencê-la: Fugindo! Sim, Fugindo da aparência do mal, fugindo do mundanismo, fugindo para a oração, fugindo para a leitura da palavra de Deus, fugindo para o jejum, fugindo para a santificação.
“porque se viverdes segundo a carne, haveis de morrer; mas, se pelo Espírito mortificardes as obras do corpo, vivereis. Pois todos os que são guiados pelo Espírito de Deus, esses são filhos de Deus”. Rm 8:13,14
Deus te abençoe!

27 de setembro de 2017

Heresias nos chamados Louvores, Parte1.

A música dentro das igrejas tem sido freqüentemente usada para ensinar e promover uma grande variedade de doutrinas questionáveis e heresias aberrantes. O problema na atualidade é que a música não está sendo avaliada pelo modo como ela auxilia no processo da Palavra de Cristo habitar ricamente em nós, mas quanto ao seu valor de entretenimento, ou seja, o quanto ela diverte.


A teologia dos cânticos modernos é dolorosamente inconsistente. Quanto ao aspecto intelectual, os cânticos ficam aquém de uma expressão de louvor adequada e digna. No que concerne ao aspecto emocional, estimulam mais os sentidos do que a alma, usando ritmos estrambóticos e repetições, em vez da verdade espiritual. Entendemos que música deve desempenhar a função de ensinar e admoestar. A boa música instrui uma boa doutrina. Martinho Lutero disse, “a música é serva da teologia”. Isaac Watts, pai da hinologia inglesa, escrevia hinos para complementar seus sermões. Quando estudamos os salmos constatamos que eles não são uma coleção de temas simples cantados de modo repetitivo com uma base doutrinária mínima. Ao contrário, os salmos, são absolutamente cheios de elaboração doutrinária e repletos de muitos tipos de admoestações.

Infelizmente, a maioria das músicas e corinhos cantados nas igrejas é tristemente fraca, pois não tocam a super estrutura da doutrina cristã. Portanto, devemos avaliar a música que cantamos perguntando: Ela ensina uma doutrina sólida? Admoeta-nos a corrigir nosso modo de viver? Auxilia no processo de permitir que a Palavra de Cristo habite ricamente em nós? Portanto, um estudo completo de como os salmos ensinam e admoestam será o mais proveitoso empreendimento que os líderes de música cristã poderiam realizar. Desse modo, todo o cuidado na presença do Senhor e toda a profunda reverência por Ele não será perdida. Hoje, os cânticos estão fazendo os crentes descerem a um nível espiritual inferior a qualquer outro da história da igreja. Há uma clara conformação com o mundo em vez da separação daquilo que não agrada a Deus.

Ir. Marcos Pinheiro

22 de setembro de 2017

Peque, mas peque com decência e ordem?


( Cuidado com os lobos vestidos de ovelha, eles orientam as ovelhas a pecar com ordem e decência)

O Pastor Silas Malafaia afirmou que usar piercing e fazer tatuagem não são pecados. Segundo o Pastor, as pessoas tem o hábito de “refletir nas outras o que não agrada elas”. Segundo Malafaia, alguns líderes querem “usar coisas do antigo testamento para formar regras no novo testamento, e não dá”. Na sequência, ele cita o Apóstolo Paulo, na carta aos Coríntios capítulo 6, versículo 12: “Paulo disse em Coríntios que ‘tudo me é lícito, mas nem tudo me convém, tudo me é lícito, mas nem tudo me edifica…’”.
Ainda sobre isso, Malafaia criticou as pessoas que pegam esse versículo e exageram. “Não posso admitir um crente com a cara toda cheia desses negócios. Tem que tomar cuidado pra não exagerar. A Bíblia fala pra fazer tudo com decência e ordem. Se eu dizer que usar piercing, brinco e tatuagem é pecado, não tenho respaldo bíblico. Isso é um costume social”. Malafaia encerra sua posição a respeito do assunto afirmando que nós, humanos, “somos indivíduos”, portanto, é normal que existam opiniões contrárias.
Na sequência, perguntado por um internauta ,se cristãos podem torcer pra times de Futebol, Malafaia afirmou que sim, e que é torcedor do Botafogo. “Eu sou aquele torcedor que não sabe escalar o time, eu não vou ao estádio. Novamente, volto ao ponto de que tudo me é lícito, mas nem tudo me convém”......

Abaixo um comentário do Blog em defesa da sã doutrina:

A Sã Doutrina é contra o uso de Tatuagens?

Tatuagens


Saúde
Sobre as tatuagens, a medicina não a recomenda, pelo fato de serem quase irreversíveis e prejudiciais no campo da saúde, a Biblia reprova comportamentos que tragam danos ao corpo, Se alguém destruir o templo de Deus, Deus o destruirá; porque o templo de Deus, que sois vós, é santo.1 Co 3:17.

Quem coloca um piercing ou faz uma tatuagem se expõe a riscos de contaminação por bactérias e até por vírus que causam doenças graves, como a hepatite e a Aids, afirmam especialistas. Além disso, também existe o risco de reações alérgicas e de formarem-se cicatrizes indesejáveis no local.
“A pele é uma área suja, que tem barreiras de proteção natural. Entretanto, essa barreira pode não ser o suficiente nesse tipo de procedimento. Por mais que haja assepsia, tatuagem e piercings são invasivos”, explica a dermatologista Flaviane Farias. 
Ela alerta que esses procedimentos deixam a pessoa mais vulnerável. “A partir do momento em que há a perfuração, também há a exposição às bactérias que vivem na pele”.
Locais formados por cartilagem, como orelha e nariz, são os mais arriscados. “Esses locais têm pouca vascularização sanguínea e, portanto, a resposta do organismo para a defesa é mais lenta. Isso faz com que o risco de infecção seja maior. Com o nariz, a situação é ainda pior, pois a cavidade nasal tem uma colônia maior de bactérias”, explica a médica.
Ela afirma, ainda, que a automedicação deve ser evitada. “Alguns estudos indicam antibióticos para os clientes sem avaliar. O certo é procurar um médico para ter um diagnóstico preciso”, orienta. Foi o que fez o empresário Rodrigo Gomes, 25. Uma semana depois de colocar um piercing na orelha, teve uma inflamação que o fez parar na mesa de cirurgia. “Tirei um pedaço da orelha e fiquei internado, fazendo exames para identificar a bactéria que causou o problema”, conta. “Desaconselho todos a fazerem. Nada compensa o risco”, diz.
 No campo social note que são muito usadas por jovens ligados à música pesada, crime, violência, drogas, etc. Isto não parece bom. Muitas vezes são pactos , consagrações, que são celebradas até com as forças do mal e das trevas. Aí então, piorou. 


O CRISTÃO DEVE USAR PIERCING OU TATUAGEM? Não!

A Bíblia diz o seguinte:
Lv 21, 5 ´ Os sacerdotes não rasparão a cabeça, nem os lados de sua barba, e não farão incisões em sua carne.

Lv 19,28 ´ Não fareis incisões na vossa carne por um morto, nem fareis figura alguma no vosso corpo. Eu sou o Senhor.
Dt 14, 1 ´ Vós sois os filhos do Senhor, vosso Deus. Não vos fareis incisões, e não cortareis o cabelo pela frente em honra de um morto.

O pluralismo corrói insidiosamente o Cristianismo. Para muitos o piercing e a tatuagem é apenas uma questão cultural. Entretanto, "o Evangelho nunca é o hóspede da cultura; ele é sempre seu juiz e redentor," pois parte dela é demoníaca.'' O cristão está na
contramão (Tg 4.4; I Jo 2.15; Rm 12.1-2)


Para J.R. Stott "somos diferentes de tudo no mundo que não é cristão e esta contra-cultura cristã é a vida do Reino de Deus." Por fim, H.R. Niebuhr apresenta Cristo como o transformador da cultura.

As igrejas mundanas como sempre exibem suas desculpas para permitir fazer tatuagens e usar piercing, mas estão fora da sã doutrina estão reprovados, mesmo que que sejam tatuagens que contenha versos bíblicos o concelho bíblico para você é fuja deles: E rogo-vos, irmãos, que noteis os que promovem dissensões e escândalos contra a doutrina que aprendestes; desviai-vos deles. Rm 16:17. 

As tatuagens têm sua origem no mundo das magias e do esoterismo. A magia é uma artimanha que pretende forçar poderes superiores ou a própria Divindade a agir segundo a intenção do mago, e só ele, conheceria os meios para tal. É claro que isto ofende a Deus. A magia é uma caricatura da religião, pois coloca o homem (mago, bruxa, feiticeiro, necromante, cartomante, pajé, etc.) acima de Deus, que ele quer controlar com os seus encantamentos.


Membros de seita tatuam ‘666′
diretores do movimento na Colômbia.


Os membros da seita, dirigida pelo porto-riquenho José Luis de Jesús Miranda, que se proclama como “o Anticristo”, procuraram tatuadores para executar o serviço em várias cidades, como Armênia, Bogotá, Barranquilla, Bucaramanga, Cali, Cartagena, Cúcuta, Manizales e Montería.

A onda de tatuagens ocorreu um mês após a realizada em Miami, em outra terça-feira 13.
As fontes afirmaram que a seita Crescendo em Graça tem 10 mil simpatizantes e mais de 60 sedes na Colômbia, além de programas de televisão.
Eles explicaram que o número 666 aparece na Bíblia, no livro do Apocalipse, que mostra o Anticristo exigindo que todos gravem sua marca, o 666, na mão direita ou na testa.


O fim está próximo, não faça tatuagens e nem fure a sua carne para colocar piercing, se você o fez se arrependa e não os use mais, se você não se arrepender ira perecer, mas o que confessa e deixa alcança misericordia Pr. 28:13, 

O que encobre as suas transgressões nunca prosperará, mas o que as confessa e deixa, alcançará misericórdia.Provérbios 28:13